Publicado em Deixe um comentário

Cristãos são absolvidos da acusação de blasfêmia e proselitismo

A organização Middle East Concern (MEC) relatou que quatro cristãos ex-muçulmanos foram absolvidos de acusações de proselitismo em uma audiência em 25 de dezembro.

Eles foram acusados de “incitar um muçulmano a mudar de religião”, uma infração de acordo com o Decreto 3-6, de 2006, punível com pena de prisão de dois a cinco anos e multa de aproximadamente 4.350 a 8.700 dólares. O promotor recorreu do veredito e pediu nova audiência em 20 de janeiro.

Em um segundo caso, outro cristão argelino, também ex-muçulmano, foi absolvido de acusações de blasfêmia em uma audiência em 30 de dezembro de 2018.

Este cristão, um fazendeiro da província de Ain-Defla, se converteu ao cristianismo em 2013.

Quando a família da esposa descobriu sua decisão de fé, eles o insultaram, perseguiram e ameaçaram, forçando a se mudar com a esposa e duas filhas jovens para outra província, onde encontrou trabalho como operário.

No final de 2017, os familiares da esposa descobriram o paradeiro deles e retomaram as ameaças. Eles convenceram a mulher a acusá-lo de insulto ao islã e de ameaçá-la, pedindo o divórcio.

A casa foi revistada pela polícia e ele foi brevemente detido e então acusado de blasfêmia. O divórcio foi concedido (com aplicação da lei islâmica de estado civil, na qual mulheres muçulmanas não podem casar com não-muçulmanos) e à esposa foi garantida a custódia das filhas (crianças ‘muçulmanas’ não podem ser criadas por não muçulmanos).

A família da esposa tem negado ocasionalmente acesso às filhas e as tentativas dele de mudar isso não são levadas a sério pela polícia.

Apesar da celebração dos cristãos argelinos pela absolvição das acusações de blasfêmia desse irmão, eles notaram o impacto da anulação do casamento e da perda do emprego.

Não é incomum que cristãos norte-africanos ex-muçulmanos enfrentem tais desafios.

Da Redação: Visão Cristã
Com informação do
Folha Gospel com Missão Portas Abertas

Publicado em Deixe um comentário

Escola cristã é reaberta no Iraque

Escola cristã reaberta no iraque

Após quatro anos fechada, o retorno às atividades é considerado uma vitória sobre o terrorismo e extremismo

A reabertura da escola cristã mais antiga de Mosul, cidade no nordeste do Iraque e controlada pelo Estado Islâmico, é considerada uma vitória sobre o terrorismo e extremismo. A escola fundamental Shimon Safa esteve fechada por quatro anos, mas recebeu 400 alunos – com idade entre 6 e 12 anos – para o novo ano letivo.

O diretor da escola, Ahmed Thamer al-Saadi, disse ao site de notícias Al-Monitor que o retorno foi devido aos esforços de voluntários e doadores de outra cidade. Ele afirmou que esta é uma lição de tolerância para frustração dos extremistas. “A escola foi sujeita à discriminação nacional e sectária; mas agora vai retomar sua missão prática e social novamente”, disse.

A escola está localizada na região de Al-Saa, parte mais antiga da cidade onde os cristãos vivem, explicou Ahmad al-Mosli, um professor da língua árabe. “Isso dá à escola uma importância excepcional por causa dos deslocamentos, mortes e opressão que as minorias religiosas enfrentam nas mãos do Estado Islâmico”.

De acordo com Ibrahim al-Allaf, professor de história moderna na Universidade de Mosul: “As matrículas dos alunos na escola são uma vitória sobre o terrorismo e extremismo. A escola é parte da herança histórica da cidade. O primeiro grupo de pessoas educadas em Mosul tem memórias desta escola. A escola tem a supervisão do monastério cristão, mas os alunos não são apenas cristãos. A educação é oferecida para estudantes de todas as religiões”.

Al-Monitor relatou que esta costumava ser uma das 20 escolas cristãs na cidade até os anos 1980, mas que a maioria delas foi fechada gradualmente nas três décadas turbulentas que seguiram a Guerra do Golfo em 1990, particularmente de 2014 a 2017, quando a cidade foi controlada pelo Estado Islâmico.

Pedidos de oração

  • Ore pela escola e todos os funcionários, para que o Senhor abençoe o trabalho que está sendo executado.
  • Apresente os alunos e peça que não haja ataques ou atentados agora que a escola foi reaberta.
  • Peça sabedoria para o diretor e aqueles que administrarão a escola.

Fonte: Portas Abertas

Publicado em Deixe um comentário

Ilhas Goto: esconderijo de cristãos do Japão que virou Patrimônio da Unesco

Igreja perseguida no japão, japoneses cristãos

Perseguidos, torturados e assassinados, os “kakure kirishitan” ou cristãos ocultos do Japão encontraram uma saída para sua fé nas remotas ilhas Goto do Sul, hoje cheias de igrejas transformadas em Patrimônio da Humanidade.

Este arquipélago situado em uma das regiões mais ocidentais do país é constituído por 63 ilhas, somente 11 habitadas, que representaram um importante refúgio para a comunidade cristã do Japão, brutalmente perseguida entre os séculos XVII e XIX pelos shoguns, chefes militares à frente do governo japonês.

Seus habitantes, dos quais atualmente cerca de 15% são cristãos, chegaram em muitos casos da cidade de Sotome, a 40 quilômetros de Nagasaki, onde muitos crentes praticavam sua fé em segredo enquanto simulavam se integrar nas comunidades xintoístas e budistas da época.

Um vestígio destas práticas é o santuário de Tsuji, uma construção simples de arquitetura xintoísta nas quais se venerava em segredo uma estátua que representa o missionário Santo Inácio de Loyola (Inassho-sama), hoje guardada em um museu local.

Cristãos perseguidos no Japão

Estes “cristãos ocultos” escolheram bem seus lugares de migração para não serem descobertos, explicou Yohei Kawaguchi, vice-diretor da Divisão de Patrimônio Mundial do Governo de Nagasaki, em uma recente coletiva de imprensa.

“Sabe-se que houve mais de 200 lugares, mas não sabemos quantos exatamente”, disse Kawaguchi, explicando que há uma pesquisa em andamento a esse respeito.

Legado da igreja perseguida no Japão

A igreja de Egami, situada na ilha de Naru, de 25 quilômetros quadrados, é um dos legados dos descendentes destes devotos cristãos que durante mais de 250 anos praticaram sua fé na clandestinidade para evitar o martírio, e é um dos 12 lugares listados em junho como patrimônio da UNESCO.

Mitsuru Kojima, que há seis anos é se encarrega da igreja de Gorin. EFE/María Roldán

Construída em madeira e com elementos de bambu, a estrutura se ergue a alguns centímetros do chão, uma particularidade única, pensada para se adequar ao clima local úmido, explicou Yukinori Kuzushima, um dos dois encarregados por sua manutenção.

A igreja foi construída em 1918, décadas depois que em 1873 foi retirado o veto ao cristianismo vigente no Japão desde 1614, que levou à perseguição e assassinato de milhares de fiéis.

Seus patrocinadores foram quatro famílias que se mudaram para lá vindas de outras ilhas, como fez o próprio Kuzushima.

Este cristão católico de 65 anos nasceu na ilha abandonada de Kazurajima, esconderijo durante séculos dos seus antepassados. Sua família se mudou para Naru após um programa do Governo, por causa da falta de infraestruturas como, por exemplo, um sistema de fornecimento de água.

Alguns membros da comunidade viajam para Naru “para honrar os que lá continuam enterrados”, explicou o japonês, apesar da igreja do lugar ter desmoronado há anos.

Como a maioria dos habitantes das ilhas Kuzushima é pescador e acredita que a inclusão de Egami como lugar “de cristãos ocultos na região de Nagasaki” impulsiona a economia local.

Os efeitos já começaram a ser percebidos e entre julho e setembro, justamente depois da inclusão, as visitas à igreja de Egami triplicaram, segundo dados divulgados pelo Governo local.

Os visitantes da antiga igreja de Gorin, uma aldeia litorânea de somente quatro habitantes na ilha de Hisaka, também aumentaram no trimestre 255%, o que dá grande alegria a Mitsuru Kojima, que se encarrega do local há seis anos.

Aos 65 anos, visita o lugar duas vezes por semana e o limpa com zelo. Construída originalmente em 1881 e transferida para sua localização atual em 1931, Kojima ainda lembra como durante sua infância as missas eram rezadas ali.

Com os anos, os aldeões e as pessoas mais jovens decidiram migrar para as cidades e a falta de fundos para sua restauração os levou a vender a igreja ao Governo em 1985 e construir uma divisória.

Atualmente apenas nove pessoas utilizam o novo templo, visto que a maioria da comunidade cristã da ilha (entre 15% e 20% de seus 314 habitantes) vão a outras duas igrejas.

Apesar do abandono progressivo do lugar, Kojima não planeja deixar o cuidado da igreja nem sua comunidade. “Queríamos a nossa própria igreja e continua sendo assim”, argumentou com um sorriso.

Cristianismo hoje no Japão

Atualmente os cristãos de Japão representam menos de 1% da população e em algumas ocasiões contam com certas particularidades.

Quando no século XVII os missionários no Japão foram expulsos ou mortos, seus seguidores ficaram sem guia e a fronteira entre os ritos desta religião e as locais se esvaneceu, transformando seu credo em um culto diferente, ainda hoje rodeado de mistério.


Redação: María Roldán

Fonte: EFE e UOL

Publicado em Deixe um comentário

“Não ore pelo fim da perseguição, ore para que sintam a Deus”, pede missionário

“Não ore pelo fim da perseguição, ore para que sintam a Deus”, pede missionário

Apesar da perseguição, os cristãos da Síria e Iraque acreditam que as dificuldades podem fortalecer sua fé.

Os cristãos continuam pregando o Evangelho mesmo em áreas altamente perigosas no Oriente Médio, onde o grupo terrorista do Estado Islâmico (EI) permanece nas mentes das pessoas.

William, um missionário que tem servido em países da Ásia Central e Oriente Médio, disse em uma webinar promovida pela Portas Abertas dos Estados Unidos que, apesar de os combatentes do EI terem sido derrotados no Iraque e na Síria, os perigos continuam.

“Os cristãos estão nos dizendo que o EI foi derrotado, mas o EI ainda está na mente do povo”, disse ele sobre Mosul, onde milhares de cristãos foram forçados a fugir quatro anos atrás quando os terroristas dominaram a cidade.

“Você tem as aldeias muçulmanas ao redor da região cristã, onde alguns muçulmanos não querem que os cristãos voltem, e eles são muito claros sobre isso”, acrescentou.

William observou que países como Iraque e na Síria continuam sendo lugares perigosos para os cristãos, mas ainda assim muitos continuam pregando o Evangelho. “Nenhuma região está fechada ao Evangelho, porque Deus colocou no coração das pessoas para elas entrarem nessas áreas e pregarem, apesar dos perigos”.

Quando a cidade de Nínive foi libertada do domínio do EI em 2016, os cristãos começaram a retornar, mas se depararam com suas casas destruídas, falta de emprego e infraestrutura. Além disso, eles ainda continuam enfrentando hostilidade e suas Bíblias devem estar sempre escondidas.

Em algumas regiões, os cristãos podem possuir apenas uma única cópia da Bíblia — se tiverem duas, eles se metem em confusão. “Se você tem duas cópias, você tem uma cópia para distribuir, então você está evangelizando”, explicou William.

Muitos cristãos conseguem acessar a Bíblia em seus smartphones, mas acabam tendo seus celulares revistados pelas autoridades. “Se eles encontram uma Bíblia na língua específica do país, você é multado, porque é ilegal ter uma Bíblia em um idioma local”, observou.

Apesar da perseguição, os cristãos da Síria e Iraque não culpam a Deus; eles acreditam que as dificuldades podem fortalecer sua fé. “Ore para que Deus continue os ajudando a sentirem Sua presença. Isso é o principal. Eles precisam experimentar a Deus em todas as situações”, incentiva William.

“Não ore para que a perseguição acabe, isso não é bom. Devemos orar para que, na perseguição, Deus esteja lá, que os cristãos sintam os braços eternos debaixo deles, que a presença de Deus esteja com eles onde eles estiverem”, finalizou.


Publicado originalmente no portal Guiame

Publicado em Deixe um comentário

Dia dos professores e a alfabetização na Igreja Perseguida

A Bíblia nos orienta diversas vezes sobre a importância da sabedoria e de buscar o ensino e instruções dos sábios. Confira alguns versículos sobre a importância do conhecimento e da sabedoria:

Nesse dia dos professores, somos gratos pela vida daqueles que dedicam a vida para ensinar e servir ao próximo.

A Bíblia nos orienta diversas vezes sobre a importância da sabedoria e de buscar o ensino e instruções dos sábios.

Confira alguns versículos sobre a importância do conhecimento e da sabedoria:

“Ouça conselhos e aceite instruções, e acabará sendo sábio” – Provérbios 19:20

“Fala com sabedoria e ensina com amor” – Provérbios 31:26 

“Apegue-se à instrução, não a abandone; guarde-a bem, pois dela depende a sua vida. Não siga pela vereda dos ímpios nem ande no caminho dos maus” – Provérbios 4:13-14 

“Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente.” – Daniel 12:3

“Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.” – Provérbios 22.6

 “Se o seu dom é servir, sirva; se é ensinar, ensine” – Romanos 12:7

“Procure obter sabedoria e entendimento; não se esqueça das minhas palavras nem delas se afaste. Não abandone a sabedoria, e ela o protegerá; ame-a, e ela cuidará de você. O conselho da sabedoria é: Procure obter sabedoria; use tudo o que você possui para adquirir entendimento. Dedique alta estima à sabedoria, e ela o exaltará; abrace-a, e ela o honrará” – Provérbios 4:5-8 

Professores da Igreja Perseguida que investem na educação

Confira o testemunho da Missão Portas Abertas sobre projetos de alfabetização no Golfo Pérsico, local onde a fé cristã ainda é perseguida.

Neste Dia do Professor, queremos apresentar nossa gratidão ao Senhor pela vida daqueles que exercem uma das mais importantes profissões na sociedade. Que cada professor seja abençoado com graça e sabedoria para desenvolver a vocação e talento que lhes foram confiados por Deus. Sabemos da importância de investir em educação e isso passa pelo reconhecimento do professor.

Somos gratos também pelos educadores cristãos, como a mãe do pequeno Ashan*. Ela é esposa do pastor de uma pequena igreja formada por seguranças, jardineiros e pessoas que trabalham com limpeza. Ela faz parte de um grupo de voluntários que exercem o ministério infantil na região do Golfo Pérsico através da associação ALIVE (vivo, em inglês). “Nossas crianças vão crescer em um ambiente hostil e desafiador, em uma terra em que serão ultrajadas por sua identidade e fé cristã. Por isso queremos que saibam que Deus é bom e as ama apesar disso tudo. Assim, buscamos maneiras de alcançá-las em sua realidade, prepará-las e fortalecê-las. Isso é investir na igreja de amanhã”, afirma com convicção a mãe de Ashan.

Enquanto ela trabalha com as crianças, Ashan espera por ela jogando no celular. Ele sabe que depois também participará das atividades das crianças na ALIVE, onde vai assistir filmes bíblicos e comer biscoitos com seus amigos. Agradeça a Deus conosco pelos professores e educadores cristãos. Ore pela bênção de Deus sobre aqueles que investem sua vida na preparação da próxima geração.

*Nome alterado por segurança. 

Pedidos de oração 

  • Ore pela educação no Brasil e também nos países onde a igreja é perseguida. Que eles sejam reconhecidos com bons salários e boas condições de trabalho.
  • Interceda pela vida de professores em geral e educadores cristãos, para que sejam emocional e espiritualmente saudáveis para lidar com os desafios do ensino.
  • Peça para que as lições de vida transmitidas produzam frutos nos alunos.

Testemunho: Portas Abertas

Publicado em Deixe um comentário

Bíblias presas há quase 6 anos são liberadas no Sudão

Material que estava parado no porto do Sudão agora foi levado para a capital, Cartum, para ser distribuído

Material que estava parado no porto do Sudão agora foi levado para a capital, Cartum, para ser distribuído

O governo sudanês liberou um carregamento de Bíblias que estiveram presas no porto do Sudão por aproximadamente seis anos. As Bíblias em árabe foram liberadas há duas semanas e levadas para a capital, Cartum, após anos de recursos por líderes das igrejas, de acordo com uma fonte local.

“Desde 2011, oficiais da alfândega têm atrasado a liberação de diversos carregamentos de Bíblias em árabes pelo porto do Sudão, sem nenhuma explicação”, diz a fonte, acrescentando que Bíblias foram deixadas em containers no porto se deteriorando enquanto quase 2 milhões de cristãos no país encaram escassez de Bíblias e materiais de ensino.

Em outubro do ano passado, um líder cristão que supervisiona a importação de centenas de milhares de Bíblias e literatura cristã para o Sudão disse que a Sociedade Bíblica não recebeu nenhuma nova Bíblia para distribuir no Sudão desde 2013. O Sudão é o quarto na Lista Mundial da Perseguição 2018 dos 50 países onde é mais difícil viver como cristão.

Em 2011, o presidente do Sudão, Omar al-Bashir, disse que queria adotar uma constituição “100%” islâmica após a maioria cristã do sul ter votado por se separar. Desde então, missionários estrangeiros têm sido expulsos, igrejas confiscadas ou demolidas e líderes perseguidos e presos.

Pedidos de oração

  • Agradeça a Deus pela liberação das Bíblias, que elas possam ser distribuídas entre os cristãos locais.
  • Apresente a vidas dos líderes das igrejas, que eles possam ter sabedoria e fortalecer os irmãos e irmãs sudaneses.
  • Peça que o Senhor permita que seja possível importar Bíblias e literatura cristã para o país.

Publicado originalmente em Portas Abertas

Publicado em Deixe um comentário

Escola Dominical fortalece crianças de países islâmicos

Crianças fortalecidas pela escola dominical em países perseguidos pelo islamismo. A importância da Escola Dominical para crianças e adolescentes

Crianças da Indonésia sofrem perseguição e são ridicularizadas na escola por seguirem a Jesus. Professores da Escola Dominical têm recebido treinamento para fortalecer crianças a testemunharem de Cristo.

Os primeiros cinco anos de uma criança são fundamentais para sua construção enquanto ser humano. Por isso, ensinar a criança no caminho que deve andar é fundamental, e a Escola Bíblica Dominical cumpre uma importante função no desenvolvimento infantil.

“Essa informação é crucial em meu papel não apenas como professora de escola dominical, mas também como mãe”, conta Alda, uma das alunas do treinamento oferecido pela missão Portas Abertas. Alda é uma dos vários pais e professores de escola dominical com falta de conhecimento para criar os filhos e cultivar sua fé, preparando-os para possíveis perseguições em suas vidas.

Na Indonésia, como a maioria é muçulmana, mesmo as crianças enfrentam tempos difíceis sendo seguidoras de Cristo. Sua fé é com frequência questionada e ridicularizada por seus vizinhos e colegas de classe muçulmanos. Nas áreas mais islâmicas, estudantes chegam a ganhar notas mais baixas dos professores da escola apenas porque são cristãos.

Infelizmente, muitas igrejas em áreas remotas não tem um preparo apropriado e materiais que alimentem a fé das crianças. Isso tem resultado em crianças e jovens que se convertem ao islamismo para conseguir melhores empregos, educação ou até mesmo parceiros para a vida. Anos atrás, um pastor de uma ilha próxima a vila de Alda contou a história de uma vila cristã que se converteu ao islamismo por arroz, macarrão instantâneo e roupas usadas. “Mas eu percebi que somos parcialmente responsáveis. Nós não temos feito o suficiente para nutrir sua fé e vida”, ele disse.

Treinamento de professores de Escola Dominical

Uma ferramenta que tem sido utilizada pelos missionários para fortalecer as igrejas e as crianças da Indonésia é o treinamento de professores de Escola Bíblica Dominical. Com o treinamento específico, é possível preparar a igreja local para perseguição, treinando professores em áreas remotas e religiosamente hostis no país com lições do cristianismo e princípios bíblicos de perseguição adaptados para o público jovem.

O treinamento começou em 2016, em cinco províncias da Indonésia, já tendo alcançando mais de 530 professores. Três principais tópicos são abordados: como guiar crianças a Cristo, como ser um professor criativo e como preparar crianças para missões.

Para estar onde é preciso, a Portas Abertas teve muito trabalho. Isso significa atravessar florestas, montanhas e mares para chegar a vilas remotas. Muitas vezes também significou passar por risco de morte. Mas a jornada, apesar de perigosa, não foi em vão.

Os testemunhos dos participantes do treinamento mostraram que um pequeno passo no ministério infantil pode ser um grande salto para o futuro da igreja da Indonésia.


Com informações de Portas Abertas Brasil 

Publicado em 1 comentário

Demolição de templo evangélico na China levanta temor de perseguição a cristãos

Em alguns países, como a China, cristãos ainda são perseguidos e têm sua casa e templo de igrejas destruídas por confessarem a Cristo. Em muitas nações, até a entrada da Bíblia é proibida. 

demolição de um imenso templo evangélico na cidade de Linfen, em Shanxi, está levantando temores de perseguição contra cristãos na China. Em dezembro, uma igreja católica foi demolida na mesma província. Segundo a Associated Press, testemunhas e ativistas disseram que forças da Polícia Armada do Povo usaram escavadeiras e dinamite para destruir a igreja Golden Lampstand nesta quarta-feira.

Uma autoridade local do escritório de questões religiosas negou que o templo tenha sido demolido, mas fotografias distribuídas pela ONG cristã ChinaAid, baseada nos EUA, mostraram os destroços da igreja.

A congregação evangélica Golden Lampstand reúne cerca de 50 mil fiéis e tem histórico de enfrentamentos com o governo. Em 2009, centenas de policiais invadiram o templo, apreenderam bíblias e prenderam alguns de seus líderes, que foram condenados a longas penas.

Segundo estimativas do governo, existem na China cerca de 60 milhões de cristãos, muitos vinculados a pequenas congregações como a Golden Lampstand. O crescimento da popularidade de igrejas não aprovadas pelo Estado levantaram a ira de autoridades locais, que consideram esses espaços ameaças ao rígido controle político e social do Partido Comunista.

A Golden Lampstand já havia sido acusada de violar códigos de construção e acordos sobre o uso do terreno, processos comuns contra igrejas não registradas.

Um pastor de uma igreja próxima informou, sob condição de anonimato, que havia “mais policiais do que eu poderia contar” para evitar que uma multidão de curiosos e fiéis se aproximassem do local.

— Meu coração ficou triste ao ver essa demolição e agora eu temo que mais igrejas sendo demolidas, até mesmo a minha — disse ele. — Esta igreja foi construída em 2008, não havia razões para destruí-la agora.

O templo foi construído em 2008, apesar de grupo religioso não ter aprovação do governo – Andy Wong / AP

Perseguição aos cristãos na China

A China garante a liberdade religiosa no papel, mas na prática as autoridades regulam muitos aspectos da vida religiosa. As igrejas devem ter aprovação oficial e os pastores devem seguir regras impostas pelo governo. Periodicamente, congregações não aprovadas têm seus líderes presos e templos demolidos.

Segundo o “Guardian”, a linha dura do governo se tornou mais evidente após 2013, quando o governo lançou operações contra cruzes e grandes templos. Na província de Zhejiang, por exemplo, mais de 1,2 mil cruzes foram removidas em 2015.

A falsa “liberdade religiosa”

Um relatório sobre liberdade religiosa do Departamento de Estado americano afirma que o governo chinês “agrediu, deteve, prendeu, torturou, condenou à prisão ou ameaçou membros de grupos religiosos registrados e não registrados por atividades relacionadas às suas crenças e práticas religiosas”.

O templo da Golden Lampstand foi construído há uma década por 17 milhões de iuanes, de acordo com o pastor Yang Rongli, líder da congregação. Yang cumpriu sete anos de prisão sob acusação de “organizar uma multidão para promover distúrbios no tráfego e está sob vigilância desde que foi libertada, em outubro de 2016.

— Eu acredito que isto possa ser um novo padrão contra qualquer religião independente com um templo ou a intenção de construir um — disse Bob Fu, fundador da ONG ChinaAid. — Isso também pode ser o prelúdio da aplicação de novas regulações sobre a religião que começam a valer em fevereiro.

Perseguição na Bíblia

A Bíblia avisa que aqueles que amam a Deus e dedicam suas vidas a Jesus sofreriam perseguições em nome do Evangelho.

Nosso Senhor Jesus alerta em Marcos 13:

“Nação se levantará contra nação, e reino contra reino. Haverá terremotos em vários lugares e também fomes. Essas coisas são o início das dores. Fiquem atentos, pois vocês serão entregues aos tribunais e serão açoitados nas sinagogas. Por minha causa vocês serão levados à presença de governadores e reis, como testemunho a eles.” – Marcos 13:8,9

Os cristãos do primeiro século sofreram com as perseguições, muitos foram torturados e mortos por confessarem o nome de Jesus Cristo. O apóstolo Paulo testemunhou aos corintios sobre as perseguições que viveu:

“São eles servos de Cristo? — estou fora de mim para falar desta forma — eu ainda mais: trabalhei muito mais, fui encarcerado mais vezes, fui açoitado mais severamente e exposto à morte repetidas vezes. Cinco vezes recebi dos judeus trinta e nove açoites. Três vezes fui golpeado com varas, uma vez apedrejado, três vezes sofri naufrágio, passei uma noite e um dia exposto à fúria do mar.” – 2 Coríntios 11:23-25

Os santos de Jerusalém (Atos 8:1-3), os de Tessalónica (1 Tess. 2:14), os de Esmirna (Apocalipse 2:8-11), os de Pérgamo (Apocalipse 2:13), sofreram muitas coisas por amor do Senhor Jesus.

Estêvão foi apedrejado pelos Judeus e morto (Atos 7:54-60), Tiago irmão de João foi morto por mão de Herodes (Atos 12:1-2), Antipas foi morto pelo nome de Cristo (Apocalipse 2:13). João na visão que teve na ilha de Patmos viu as almas daqueles que tinham sido mortos por causa da Palavra de Deus e pelo testemunho que deram (Apocalipse 6:9-11).

A Igreja Perseguida em nossos dias

Em alguns países, como a China, cristãos ainda são perseguidos e têm sua casa e templo de igrejas destruídas por confessarem a Cristo. Em muitas nações, até a entrada da Bíblia é proibida. 

Leia também: A realidade e o que podemos aprender com a Igreja Perseguida

Esses irmãos muitas vezes demonstram mais o temor do Senhor e testemunham mais do Evangelho do que nós, que muitas vezes deixamos de falar de Jesus para os que estão a nossa volta.

A Palavra de Deus traz promessas para aqueles que não desanimam, mesmo enfrentando perseguições:

Bem-aventurados sereis quando os homens vos odiarem e quando vos separarem, e vos injuriarem, e rejeitarem o vosso nome como mau, por causa do Filho do homem.
Folgai nesse dia, exultai; porque eis que é grande o vosso galardão no céu, pois assim faziam os seus pais aos profetas.” – Lucas 6:22,23

Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando estou fraco, então, sou forte.” – 2 Coríntios 12:10

“Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?” – Romanos 8:35

Nosso dever: orar pela Igreja Perseguida

Nós, que não temos nossa liberdade religiosa cerceada, devemos lembrar sempre de nossos irmãos e irmãs que sofrem em nossas orações.

“Lembrem-se dos que estão na prisão, como se aprisionados com eles; dos que estão sendo maltratados, como se vocês mesmos estivessem sendo maltratados.” – Hebreus 13:3

Por isso, tire um tempo para orar:

  • Pelos cristãos que tiveram seus templos destruídos;
  • Para que Deus dê força e coragem para proclamarem Seu nome
  • Pelos missionários em áreas perseguidas
  • Pelos povos não alcançados
  • Por traduções da Bíblia para línguas ainda que ainda não tem acesso às Escrituras.

Você também pode ajudar de formas práticas, como sugere a missionária Délnia Bastos:

  •  Escrever cartas de encorajamento;
  • Assinar listas e abaixo-assinados, destinados a autoridades responsáveis pela integridade física dos cristãos e cidadãos de um modo geral (há outros grupos religiosos no mundo, não-cristãos, perseguidos por radicais de religiões majoritárias);
  • Prestar advocacia mais ampla, na defesa dos direitos humanos também na área religiosa;
  • Contribuir financeiramente com a igreja sofredora;
  • Ir viver no meio deles, para encorajá-los e servir à igreja nacional.

Fontes: O Globo, Ultimato

Análise: Visão Cristã

Publicado em Deixe um comentário

Quase 9 mil famílias no Iraque voltam pra casa

Quase 9 mil famílias no Iraque voltam pra casa. Com casas restauradas, cristãos retornam para cidades e vilarejos da Planície do Nínive

Com casas restauradas, cristãos retornam para cidades e vilarejos da Planície do Nínive

Só aumenta o número de casas que puderam ser restauradas na planície do Nínive, no Iraque. Comitês da igreja local supervisionam as obras de restauração das casas. Até o final de julho, nosso parceiro local registrou que um total de 1051 casas já tinham sido restauradas por meio do seu apoio. O número de famílias cristãs que voltaram para as várias cidades e vilarejos na Planície do Nínive chegou a 8878 agora no mês de agosto. A maioria delas voltou para as cidades de Qaraqosh: 5700 pessoas, e Bartella: 1290.

Algumas outras casas ainda devem ser restauradas, mas a reforma da infraestrutura é um processo mais lento. Além disso, os investimentos também são mais altos, porém ajudariam a estimular a economia local, fazendo com que floresça novamente.

Os cristãos que voltaram para a Planície do Nínive também precisam lidar com a falta de empregos. Nosso parceiro local e as igrejas precisam de ideias criativas para ajudar os moradores a darem início a novos negócios, que ofereçam trabalho para muitas pessoas desempregadas. As igrejas também precisam de estratégia e sabedoria para que sejam capazes de motivar os jovens a continuar nas cidades e vilas.

Pedidos de oração

  • Ore pelos cristãos que voltaram para suas casas na Planície do Nínive, que eles sejam fortalecidos pelo Senhor.
  • Apresente as condições econômicas locais, que os níveis de emprego possam aumentar, gerando mais oportunidades.
  • Peça a Deus por capacitação para nossos parceiros e líderes locais para auxiliar a comunidade nesse momento de renascimento.

Publicado originalmente em Portas Abertas

Publicado em Deixe um comentário

Portas Abertas: Conhecido o ranking da perseguição à igreja em 2018

Todos os anos, a Portas Abertas divulga a Lista Mundial da Perseguição. Essa lista consiste em um ranking dos 50 países onde a perseguição aos cristãos está presente e afeta a vida daqueles que professam a fé em Jesus Cristo. O ranking tornou-se referência quando o assunto é a Igreja Perseguida ao redor do mundo.

A Lista analisa a vida privada e pública dos cristãos em dezenas de países. Por meio de pesquisas e cruzamento de dados, ela provê uma fotografia precisa das dificuldades que os cristãos enfrentam. Estima-se que hoje, mais de 215 milhões de cristãos são perseguidos ao redor do mundo por causa da fé.

Os relatórios da equipe de pesquisa da Lista constataram que a opressão vivida pelos cristãos está crescendo de uma forma geral, apesar de as formas de perseguição variarem conforme cada região. A Portas Abertas convida você a envolver-se com a Igreja Perseguida.

Navegue pelo mapa e acesse os Perfis dos Países. Saiba mais sobre a realidade dos cristãos perseguidos, a história de cada país, igreja, como acontece a perseguição aos cristãos e pelo o que você pode orar.

Redação: Visão Cristã
Com informação de Portas Abertas