Publicado em Deixe um comentário

Jair Bolsonaro é eleito com 57,8 milhões de votos no segundo turno

Jair Bolsonaro é Presidente eleito no Brasil. Governador eleito em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Amapá, Rondônia, Rio Grande do Norte, Amazonas, Pará, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, Roraima e no Distrito Federal.

Jair Bolsonaro foi eleito presidente do Brasil no segundo turno das eleições e tomará posse em 1° de janeiro de 2019. O capitão reformado do exército de deputado federal desde 1991 obteve 55,13% dos votos válidos nas eleições de domingo, 28 de outubro. O professor Fernando Haddad terminou com 44,87% dos votos válidos, o equivalente a 47 milhões de votos.

Os votos nulos, brancos e abstenções (pessoas que não compareceram ao local de votação) somam 42,1 milhões de eleitores que não escolheram nenhum candidato, cerca de um terço do total. O número de votos nulos foi o maior registrado desde 1989, totalizando 8,6 milhões, 7,4% do total de eleitores.

Veja as principais propostas de Jair Bolsonaro:

  • Redução do número de ministérios dos atuais 29 para cerca de 15, com cortes de cargos e fim das indicações políticas;
  • Redução da carga tributária e desburocratização;
  • Privatização ou extinção de estatais;
  • Imposto de renda: alíquota única de 20% e isenção na faixa até 5 salários mínimos;
  • Construção de colégios militares nas capitais e encorajar a educação a distância;
  • Reforma política e o fim da reeleição;
  • Expulsão de médicos cubanos que não conseguirem revalidar o diploma no Brasil e “credenciamento universal” de médicos para atendimento no SUS;
  • garantia de retaguarda jurídica de “excludente de ilicitude” para civis e policiais;
  • mudança no Estatuto do Desarmamento e tipificação de ações do MST como terrorismo;
  • redução da maioridade penal;
  • resgate do projeto das 10 medidas contra a corrupção;
  • mudanças na Lei Rouanet, que reverte recursos para cultura;
  • aproximação com EUA, Japão, Europa e Israel e distanciamento da Venezuela.

Quem são os governadores eleitos no segundo turno em 2018

Além das eleições presidenciais, 14 unidades da federação elegeram governadores nesse domingo (28). As eleições 2018 foram para o segundo turno em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Amapá, Rondônia, Rio Grande do Norte, Amazonas, Pará, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, Roraima e no Distrito Federal.

Veja a lista de governadores eleitos em segundo turno:

São Paulo
Eleito, João Doria (PSDB) teve 51,75%; enquanto Márcio França (PSB), 48,25%.

Rio de Janeiro
Eleito, Wilson Witzel (PSC) teve 59,87% dos votos; enquanto Eduardo Paes (DEM), 40,13%.

Minas Gerais
Eleito, Romeu Zema (NOVO) teve 71,80% dos votos; enquanto Antonio Anastasia, 28,20%.

Rio Grande do Sul
Eleito, Eduardo Leite (PSDB) teve 53,62% dos votos; enquanto José Ivo Sartori (MDB), 46,38%.

Distrito Federal
Eleito, Ibaneis (MDB) teve 69,79% dos votos; enquanto Rodrigo Rollemberg (PSB), 30,21%.

Amapá
Eleito, Waldez Góes (PDT) teve 52,35% dos votos; enquanto Capi 40 (PSB), 47,65%.

Amazonas
Eleito, Wilson Lima (PSC) teve 58,52% dos votos; enquanto Amazonino Mendes (PDT), 41,48%.

Mato Grosso do Sul
Eleito, Reinaldo Azambuja (PSDB) teve 52,35% dos votos; enquanto Juiz Odilon (PDT), 47,65%.

Pará
Eleito, Helder (MDB) teve 55,43% dos votos; enquanto Dercio Miranda (DEM), 44,57%.

Rio Grande do Norte
Eleita, Fatima Bezerra (PT) teve 57,60% dos votos; enquanto Carlos Eduardo (PDT), 42,40%.

Rondônia
Eleito, Coronel Marcos Rocha (PSL) teve 66,34% dos votos; enquanto Expedito Júnior (PSDB), 33,66%.

Santa Catarina
Eleito, Comandante Moisés (PSL) teve 71,09% dos votos; enquanto Gelson Merísio (PSD), 28,91%.

Sergipe
Eleito, Belivaldo (PDT) teve 64,37% dos votos; enquanto Valadares Filho (PSB), 35,27%.

Roraima
Eleito, Antonio Denarium (PSL) teve 53,36% dos votos; enquanto Anchieta (PSDB), 46,64%.

Ore pelos governantes eleitos

A Bíblia nos orienta a orar e respeitar as autoridades. Oremos para que sejam pessoas íntegras e governem para o bem de toda a população, sabendo que Deus os julgará de acordo com suas ações.

“Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade” – 1 Timóteo 2:1-2

“Os lábios arrogantes não ficam bem ao insensato; muito menos os lábios mentirosos ao governante!”  – Provérbios 17:7

“Os lábios do rei falam com grande autoridade; sua boca não deve trair a justiça.”  – Provérbios 16:10

“O Senhor reina para sempre; estabeleceu o seu trono para julgar. Ele mesmo julga o mundo com justiça; governa os povos com retidão.”  – Salmos 9:7-8


Informações: TRE, G1, Estado de Minas.

Redação: Visão Cristã.

Publicado em 1 comentário

Bolsonaro defende agenda conservadora e exige mesma postura dos candidatos do seu partido

Jair Bolsonaro é uma figura polêmica que desperta reações extremas de amor e de ódio por onde passa. No entanto, uma coisa devemos concordar: ele não é produto do politicamente correto e nem tem medo de se posicionar.

Recentemente o deputado filiou-se ao partido Patriota, antigo PEN (Partido Ecológico Nacional). Sabe-se que sua intenção era mudar o nome do partido para PRONA, partido do ilustríssimo e igualmente polêmico Enéias Carneiro, candidato nacionalista e de ideias igualmente conservadoras, de quem Bolsonaro recebeu forte influência.

O deputado fez uma série de exigências para quem pensa disputar eleições pelo partido, como ser contrario ao aborto e a legalização das drogas, ser contra o desarmamento e a discussão nas escolas sobre homossexualidade. Também exigiu que os futuros candidatos sejam à favor da redução da maioridade penal e da imprensa livre.

Algumas das pautas abraçadas pelo candidato são nitidamente cristãs. É extremamente contraditória a hipótese de que um individuo seja ao mesmo tempo cristão e abortista, ou cristão e homossexual. É claro que todos temos o dever de respeitar as liberdades individuais, mas o aborto não é uma questão de liberdade individual, mas de potestade sobre outra vida que jaz indefesa no útero materno. Aborto é uma forma de assassinato, e precisa ser tratado como tal.

A mesma coisa pode-se de dizer do casamento homossexual e da adoção de crianças por casais homoafetivos. Esta união que fere o conceito cristão de família, traz graves consequências para as crianças, que muitas vezes são utilizadas como experimentos sociais por “pais” ideólatras, como nós noticiamos aqui, aqui e aqui.

Outras pautas como o desarmamento realmente dividem a cristandade. Há aqueles que lutam pelo direito à autodefesa, que afirmam ser bíblico (veja aqui), e também aqueles que se opõem e apresentam suas razões teológicas, como o fez o respeitadíssimo pastor John Piper.

Diferente do que se imagina, a redução da maioridade penal não é um tema polêmico. Segundo o Datafolha,  87% dos brasileiros são favoráveis à redução de 18 para 16 anos. Contrários à mudança são apenas 11%. Se a redução da maioridade penal não foi aprovada ainda, isso se deve ao esforço dos políticos que não representam a população ao legislar, mas sim aos interesses da bandidagem e aos sociólogos marxistas.

Quanto as demais pautas, elas são realmente conservadoras e de interesse cristão. É dificil acreditar que uma pessoa regenerada possa advogar a liberação das drogas pelo motivo que seja. Nós precisamos reprimir o tráfico, fortalecer nossas fronteiras e punir de maneira efetiva e exemplar os delinquentes. O traficante de drogas não é uma pobre vitima da sociedade; nós é que somos vítimas e muitas vezes reféns dos bandidos!

EVANGÉLICO COMO VICE

O nome do senador evangélico Magno Malta (PR/ES) surgiu com força como um candidato a ser companheiro de chapa de Jair Bolsonaro. Segundo as pesquisas eleitorais já divulgadas, o ex-capitão do Exército estaria em segundo lugar. O levantamento mais recente do Datafolha mostrou que ele está atrás apenas do ex-presidente Lula (PT), que possui cerca de 30% das intenções.

A aliança com o PR de Malta daria um importante reforço no tempo de propaganda na TV de campanha do deputado fluminense, que ao concorrer por um partido “nanico”, terá pouco tempo de TV. Atualmente, o PR tem a quinta maior bancada, com 38 deputados.

ECONOMIA, MESSIANISMO E OUTROS PROBLEMAS

Seria muito interessante ver um melhor posicionamento de Bolsonaro em assuntos econômicos, por exemplo. Ele somaria pontos se mantivesse um discurso mais liberal, com defesa do livre mercado, estado enxuto, privatizações, etc. Este engessamento do candidato é o que tem preocupado o eleitor que enxerga nele uma possível opção de voto.

Contudo, cabe ainda lembrar que Jair Messias não é o salvador do Brasil. Não podemos olhar para a política com esperanças messiânicas e nem depositar em um político a classe de confiança e devoção que devemos apenas a Deus. Contudo, se o deputado se mantiver firme na manutenção dos ideais conservadores, e se aprimorar seu discurso econômico, podemos ter uma grande surpresa no próximo pleito presidencial.

Da nossa parte, cabe orar pelo país, sabendo que Deus é quem em sua soberania constitui e destitui os governantes, e as vezes o faz para juízo, e outras para benção do seu povo.

Redação Consciência Cristã News
Imagem: Facebook

Publicado em Deixe um comentário

Jean Wyllys pode ser suspenso da Câmara por cuspir em Jair Bolsonaro

O cuspe do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) no colega Jair Bolsonaro (PSC-RJ) durante a sessão de votação para aceitação do processo de impeachment contra Dilma Rousseff (PT) na Câmara dos Deputados no dia 17 de abril último poderá render uma suspensão do mandato ao ex-BBB.

Segundo informações do UOl, a suspensão de mandato por alguns meses passou a ser possível após a Mesa Diretora da Câmara Federal autorizar o Conselho de Ética a abrir processo contra Wyllys.

O processo disciplinar nº 110.482 tem a punição de suspensão do mandato endossada pelo corregedor da Câmara, deputado Carlos Manato (SD-ES). O ato covarde de Wyllys, que após cuspir em Bolsonaro correu por entre os demais colegas, foi mostrado ao vivo em rede nacional pelas emissoras que transmitiram a histórica sessão.

À época, o pastor Marco Feliciano (PSC-SP), um dos aliados de Bolsonaro, lamentou a atitude de Wyllys: “Existe algo mais fascista do que cuspir em alguém? Isso denota que o alvo do escarro é menor e desprezível. O cuspidor sente-se superior. Se fossemos eu e Bolsonaro os cuspidores, os esquerdopatas, os que sofreram lavagem cerebral pela mídia e os idiotas úteis nos linchariam”, pontuou.

“Acho que já passou da hora dos brasileiros começarem a rever quem é quem de verdade. Eu e Bolsonaro sempre quando atacados, nos calamos. O ex-BBB e o global sub-intelectual, desfilam o ódio e já deram provas dos seus desequilíbrios, mesmo assim são ovacionados pela mídia”, acrescentou, mencionando também o ator José de Abreu, que foi filmado cuspindo em um casal antipetista dentro de um restaurante.

O pastor concluiu seu raciocínio destacando que é preciso comparar o discurso com a prática: “Eles pregam menos ódio, mais amor, e um monte de ladainhas, mas quando confrontados com a verdade, na ausência de sabedoria para refutar intelectualmente, de maneira porca e desonrosa cospem nos seus semelhantes. Chega”.

Veja a cuspida aos 2:00 minutos:


Com informações Gospel+

Publicado em Deixe um comentário

Conselho de Ética investiga Jean Wyllys por associar Feliciano e Bolsonaro a atentado de Orlando

O deputado federal e ativista gay Jean Wyllys (PSOL-RJ) vai enfrentar um processo no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados por quebra de decoro parlamentar, devido à associação que fez entre o atentado terrorista na boate LGBT de Orlando, Flórida (EUA) e os deputados Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e Marco Feliciano (PSC-SP).

A representação contra Wyllys foi feita pelo PSC, que alega que o deputado associou os nomes de seus colegas ao atentado terrorista de forma indevida, segundo informações da revista Exame.

A publicação de Jean Wyllys no Facebook, horas depois do atentado no dia 12 de junho, diz que os “discursos de ódio” de lideranças evangélicas podem motivar pessoas comuns a praticar violência contra homossexuais.

O que Wyllys classifica como “discurso de ódio” é a pregação bíblica de que a prática homossexual é pecaminosa.

“Quando criticamos os discursos de ódio dos ‘bolsomitos’ e ‘malafaias’ e ‘felicianos’ e ‘euricos’ e das ‘marisas lobos’ e ‘ana paulas valadões’ da vida e dos legislativo contra gays, lésbicas e transexuais, estamos pensando justamente no quanto o discurso de ódio proferido por essas pessoas – agora em alta porque aliados dos golpistas que tomaram a presidência da República – pode levar pessoas ‘de bem’ a praticar atos de violência física – assassinatos e agressões físicas – contra membros da comunidade LGBT”, escreveu Jean Wyllys.

Ameaça de morte

Posteriormente a essa publicação de Wyllys, a investigação do crime – que resultou na morte de 50 pessoas – chegou à conclusão de que o atentado havia sido inspirado pelo Estado Islâmico.

Omar Saddiqui Mateen, o atirador, era muçulmano e homossexual e vivia uma vida dupla, pois mantinha relacionamentos com homens e um casamento de aparências.

O pastor Marco Feliciano chegou a ser ameaçado de morte por reagir às alegações de Wyllys de que a motivação para o atentado teria nascido no meio evangélico.

Personalidades como o humorista Rafinha Bastos, o ator José de Abreu e o youtuber Felipe Neto seguiram a linha adotada por Jean Wyllys e atacaram Feliciano, motivando milhares de internautas a se posicionarem de forma agressiva, promovendo ameaças de morte ao pastor e de estupro às suas filhas.

 

Com as informações, Gospel+